Para não perder as atualizações, visite todos os dias!
Adicione o Museu Anos 80 aos seus favoritos!




sexta-feira, 27 de abril de 2007

João Figueiredo (Presidente da República no início dos anos 80)

Hoje vamos relembrar um pouco da política no início dos anos 80. Nosso primeiro presidente nos anos 80 foi o militar João Baptista de Oliveira Figueiredo (1918-1999). Assumiu a presidência em 1979, tendo sido eleito através de voto indireto. Permaneceu no cargo até 1985, sendo o terceiro presidente a ter ficado mais tempo no cargo (6 anos), ficando atrás somente de Getúlio Vargas (18 anos) e Fernando Henrique Cardoso (8 anos).

O início do governo João Figueiredo ficou marcado por uma forte crise na economia, que, aliás, não atingia somente o Brasil, mas o mundo inteiro, decorrente das altas taxas de juros internacionais. Discursou marcantemente na Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, criticando os altos juros impostos pelos países desenvolvidos.

"Plante que o João garante". Esse foi o slogan do programa de incentivo a agricultura criado por Antônio Delfim Netto (ministro do planejamento) e o vice José Flávio Pécora. Este plano visava modernizar a agricultura brasileira. E realmente teve êxito, pois foi dado ali o pontapé inicial para o que nós somos hoje em termos de agricultura, ou seja, um dos maiores e melhores exportadores do mundo.

João Figueiredo também foi responsável pelo maior programa de habitação da história do Brasil. Construiu quase 3 milhões de casas populares. Para se ter uma idéia, isso é mais do que o BNH (Banco Nacional de Habitação, posteriormente incorporado à Caixa Econômica Federal) construiu até hoje.


Durante seu governo anistiou os punidos pelo AI-5 e extinguiu o bipartidarismo, garantindo assim o processo de abertura iniciado no governo Geisel.

Seu último ano de governo foi mais tranqüilo em se tratando de economia, tendo o Brasil atingido um crescimento de 7%. Houve um crescimento considerável nas exportações e o Brasil se tornava mais independente no mercado externo, principalmente no quesito petróleo.

Seu sucessor no cargo de Presidente da República foi José Sarney (antigo desafeto de partido). João Figueiredo recusou-se a entregar a Faixa Presidencial pois considerava Sarney um “impostor”, pois era vice de um presidente que nunca havia assumido, referindo-se a Tancredo Neves (Presidente eleito pelo voto indireto, que morreu antes de assumir o cargo).

João Figueiredo também ficou famoso por suas frases, eis aqui algumas delas:

• “Quem for contra a abertura, eu prendo e arrebento”
• “Prefiro cheiro de cavalo do que cheiro de povo.”
• “Não posso obrigar o povo a gostar de mim. Sou o que sou, não vou mudar para que o povo goste”.
• “Se ganhasse salário mínimo, eu dava um tiro no meu coco”.
• “O que eu gosto mesmo é de clarim e de quartel”.
• “Me envaideço de ser grosso”.
• “Eu quero que a Nação me esqueça”.
• “O turco não sentará no meu lugar de maneira nenhuma”, sobre a possibilidade de Paulo Maluf ser eleito no colégio eleitoral.
• “Tancredo never”.
- Trocadilho infame dito quando Tancredo Neves, presidente eleito no Brasil após o período da ditadura, morreu sem ter tomado posse do cargo.

(Fonte de pesquisa para a postagem – Wikipédia)

1 comentários:

Ana Paula disse...

olá!!! passando pra conhecer! gostei do seu blog! estou iniciando dois blogs para atender os pedidos dos meus sobrinhos... passe por lá... www.meuirmaomeuamigo.blogspot.com